Por aqui adoramos Jardins Verticais. E por aí?

Atualmente é impossível falar de tendências paisagísticas sem falar em jardins verticais.

Para contrabalançar com a nossa vida cosmopolita, com os prédios altos e cinzentos, arquitectos, urbanistas e paisagistas quiseram já há alguns anos – apesar do buzz em Portugal, esta não é uma tendência nova – encontrar maneiras de nos aproximar novamente da natureza criando estes, por vezes enormes, jardins verticais. Nas suas principais funções, contribuem para um melhoramento na qualidade de vida do planeta, visto que ajudam na redução da poluição, aumentam a humidade do ar e colaboram até na reciclagem de alguns gases tóxicos, entre outros benefícios.

Hoje, numa escala mais pequena, queremos trazer esta tendência para as nossas casas, apartamentos mesmo, já que uma das principais vantagens do jardim vertical é o fato deste ocupar pouco espaço, podendo ser montado em pequenas áreas, trazendo um grande impacto na decoração e na sensação dos espaços.

Mas visto que esta tendência está bastante em voga somente agora em Portugal, de certeza que ainda existem algumas dúvidas. Vamos clarificar!

O que é um jardim vertical?

Um jardim vertical é um tipo de paisagismo no qual as plantas são ordenadas verticalmente com a ajuda de uma estrutura/suporte especial. A principal intenção, para além de nos aproximar da natureza, é fazer com que, mesmo em espaços pequenos, seja possível criar um ambiente cheio de vida.

Onde fazer?

Apesar de ser uma tendência para quem tem apartamentos, quem vive em vivendas ou em espaços maiores também pode criar o seu jardim vertical. Porque não? Nesse caso, os jardins verticais, podem decorar a área externa da piscina, varandas ou lounges montados no exterior da casa. Os jardins verticais são versáteis e podem ser colocados em qualquer tipo de ambiente. Podem ser estruturados em varandas, halls de entrada, cozinhas, jardins interiores e em casas de banho maiores.

Como fazer e o que plantar?

De maneira geral, o mais importante é que as plantas escolhidas estejam dispostas de um modo em que consigam sobreviver no ambiente verticalizado, com os cuidados corretos.

Para fazer um jardim vertical pode usar suportes como pallets, caixotes da fruta, pequenos vasos pendurados ou então pode mesmo optar por cobrir uma parede toda de verduras. Quanto mais diversa e exótica for, mais bonita fica. Atenção que cada planta tem características de manutenção específicas.

As Samambaias e as Monsteras, por exemplo, precisam de pouca luz e vivem bem em meia-sombra, porque são tropicais. Já as Espadas-de-São-Jorge precisam de muita luz.

Não nos podemos esquecer ainda que existem plantas que precisam de muita água e outras que necessitam de irrigação moderada.

Se não quisermos perder muito tempo na manutenção dos nossos jardins, podemos sempre utilizar suculentas e cactos que crescem tranquilamente no sol e precisam de pouca água.

Cuidados a ter?

Não há muito a apontar tirando o ponto anterior. Realmente as plantas vão precisar de certos cuidados para que possam durar muito mais tempo e oferecer a frescura que procura para a sua casa.

Primeiramente é preciso regá-las periodicamente, observando as necessidades de cada uma. 

Dica: coloque o dedo no vaso para perceber se o solo está seco ou muito encharcado, sendo que o ideal é sempre o meio termo.

Outro ponto importante para a manutenção do jardim vertical é a adubação. Isto significa manter o solo das plantas rico em nutrientes para que elas possam crescer saudáveis.

Outro ponto importante é a poda. Sim, mesmo sendo um jardim vertical é importante eliminar folhas secas e galhos, para que os ramos saudáveis possam crescer livremente.

Agora que já sabe tudo sobre jardins verticais, que tal criar um espacinho verde lá em casa? Aqui ficam algumas ideias do que usar.

por Silvana Querido, do blog dearprojectblog

Clique nas imagens para descobrir mais sobre os artigos.